Textura.

Ela o sufocou com tudo o que não foi dito.

Entre letras dançando,
frases imperfeitas,
palavras incompletas,
sentimentos escritos,
amores não traduzidos,
momentos não conjugados,
ele seguia uma estrada dividida
entre prosa e poesia.
E se perdia mais,
cada vez que não dizia.

Os textos não escritos
serviram-lhe de último suspiro.

Pobre coitado,
morreu de textura
sob o sol do meio-dia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s